Dicas de Hotelaria

LGPD na Hotelaria: Confira Todos os Impatos para o Seu Hotel

0

A LGPD na hotelaria é algo que precisa ser colocado em prática. Afinal de contas, não importa o tamanho do seu negócio, você precisa seguir a lei. A Lei Geral de Proteção de Dados vale para todos que usem cadastros de clientes de qualquer forma. 

Mas de que forma essa legislação impacta o meu hotel? Será mesmo que preciso seguir rigorosamente o que diz a legislação? O que pode acontecer se eu não aplicar a LGPD no meu negócio?

Se você está com essas e outras dúvidas, então está no lugar certo. Confira abaixo mais informações sobre o assunto e evite erros!

Qual o objetivo da LGPD?

Primeiro, precisamos entender melhor para o que serve essa lei, só assim vamos entender a importância de nos adequarmos a ela.

O principal objetivo é manter os dados pessoais das pessoas seguras, no seu caso, os dados dos seus hóspedes como nome, data de nascimento, CPF e outros. A lei deve ser aplicada a qualquer processo de:

  • coleta;
  • armazenamento;
  • processamento;
  • publicação;
  • e até mesmo exclusão desses dados.

Sendo assim, quando você coleta os dados do seu hóspede no momento do check-in e coloca no seu sistema, precisa seguir às normas na LGPD.

Qual o impacto da LGPD na hotelaria?

Hoje em dia, muitos são os hóspedes que fazem busca e reserva de hotel de forma online. É uma prática cada vez mais comum justamente pela praticidade e facilidade que isso oferece.

De acordo com uma pesquisa, quase 50% das reservas realizadas em 2018 foram feitas por meios digitais. E é bem provável que esse número tenha crescido.

Dessa forma, os clientes fazem um tipo de cadastro, informando dados pessoais nos sites. As empresas onde essa informação é cadastrada é a responsável por guardar esses dados da forma mais segura possível.

E os hotéis precisam armazenar essas informações, pois a Lei Geral do Turismo exige que esses estabelecimentos passem os dados dos hóspedes ao Ministério do Turismo. Isso é feito de forma impressa, mas o armazenamento feito pelos hotéis, normalmente, é por meio digital.

O que é considerado tratamento de dados pessoais dos hóspedes?

Um dos usos desses dados é pela equipe de marketing, com o envio de e-mails para os hóspedes. Não precisa ser um e-mail de venda, qualquer tipo configura tratamento de dados. Afinal de contas, o e-mail é uma informação pessoal à qual você tem acesso, pois o cliente colocou na ficha de cadastro.

Confira abaixo quais são os outros tipos de tratamento de dados:

  • envio de dados ao Ministério do Turismo conforme Lei Geral do Turismo;
  • transferir dados pessoais dos hóspedes para outros hotéis, agências de turismo e demais empresas relacionadas ao seu negócio;
  • coleta de dados para fazer reservas ou mesmo para armazenar em sistemas digitais como o de CRM;
  • armazenamento de dados na Ficha Nacional de Registro de Hóspedes em meio digital.

Quais os cuidados que os hotéis devem ter ao seguir a LGPD?

Pedir autorização

Em nenhuma hipótese você deve usar uma informação pessoal que o seu hóspede passou para realizar a reserva sem a autorização dele. 

E, esse consentimento deve seguir alguns requisitos, pois não pode ser obtido de qualquer maneira. Assim, ele deve ser de manifestação livre e inequívoca, por exemplo.

Outro ponto importante aqui é que o dono dos dados pode revogar o consentimento a qualquer momento. Quando isso acontece, o hotel deve remover qualquer tipo de informação do cliente do seu sistema e também informar às empresas com as quais compartilhou os dados.

Revise os dados que já possui

A LGPD entrou em vigor no dia 16 de agosto de 2020 e é bem provável que, antes dessa data, você tivesse informações pessoais de diversos hóspedes.

Nesse caso, o que fazer?

Bom, aqui é o momento de revisar essas informações e entrar em contato com os hóspedes informando sobre as informações que o hotel possui sobre cada um deles e pedir uma autorização para que possam utilizar esses dados. Você deverá descrever em quais casos a empresa pode usá-los.

Determine a finalidade do tratamento dos dados

E, falando em ser transparente, é importante que o seu hotel deixe bem claro para que e com qual objetivo usará as informações coletadas dos hóspedes.

Por exemplo, digamos que você é parceiro de uma agência de turismo e deseja compartilhar as informações do cliente para facilitar a vida dele. Precisa informar a ele sobre o assunto de forma detalhada, mostrando a necessidade disso.

A LGPD na Hotelaria não é difícil de adequar, mas é importante ler com muita atenção a legislação e, se possível, pedir ajuda de um advogado especialista no assunto. Não seguir a lei pode trazer grandes prejuízos, não só financeiros, mas também de imagem.

Quer receber dicas que vão ajudá-lo no dia a dia do seu hotel? Então, assine a nossa newsletter!

Pandemia Covid-19: Como a Tecnologia Pode Ajudar o Seu Hotel?

Previous article

Hotelaria em 2021: Como Se Planejar e Recuperar Seu Faturamento

Next article